curatorial

Apresentação

Screen Shot 2021-07-15 at 4.17.19 PM.png

Todas as obras aqui expostas são obras construídas que participaram do Prêmio Oscar Niemeyer de Arquitetura Latino-Americana, o Prêmio ON

Transcorridas as primeiras duas décadas do séc. XXI, é possível fazer um percurso pela produção arquitetônica da América Latina a partir das obras premiadas em suas bienais de arquitetura, o que já constitui curadoria prévia, garantia da qualidade e representatividade desta exposição.

 

Todas as obras aqui expostas são obras construídas que participaram do Prêmio Oscar Niemeyer de Arquitetura Latino-Americana, o Prêmio ON, em suas três edições, 2016, 2018 e 2020, nas quais cerca de 320 projetos foram apresentados, dentre os quais 60 foram selecionados por jurados internacionais. Essas são as obras que fazem parte desta exposição.

 

A diversidade geográfica é uma das características desta exposição, com projetos que foram construídos na cidade e no campo, nas centralidades urbanas e nas periferias. Também nos surpreendemos com a diversidade cultural em que os projetos estão inseridos, abarcando desde as comunidades andinas até os povos amazônicos, passando pelas pequenas ou grandes cidades latino-americanas. São projetos que expressam a rica hibridação cultural de raízes indígenas, afrodescendentes, europeias, asiáticas e americanas.

 

A diversidade tipológica e programática também é outra característica desta exposição. São projetos que resolvem demandas e programas que vão desde a suposta simplicidade das casas unifamiliares ou coletivas, até as complexas exigências de equipamentos, escritórios, espaços produtivos, culturais, de lazer ou para celebrações.

Uma arquitetura com autenticidade e valores próprios, com linguagens de identidade (o valor do local) e de universalidade (o valor do global); trabalhados de forma responsável a partir do ofício da arquitetura, na integração dos recursos disponíveis: culturais, locais, econômicos, tecnológicos, estéticos...; que articula criativamente estruturas, volumes e

formas com a materialidade que corresponde a cada projeto; que resolve programas e necessidades complexas com soluções funcionais exemplares.

 

Os autores desses projetos também são diversos. Alguns são escritórios de grande trajetória e prestígio, outros são emergentes. Também encontramos obras executadas por coletivos, em oficinas colaborativas ou que trabalham com comunidades. Finalmente constatamos práticas arquitetônicas de naturezas diversas, velhas ou novas.

 

Estamos diante de uma exposição enriquecedora que revela não só paixão e compromisso com a arquitetura. Vai além: revela o compromisso com nosso povo e com os locais de intervenção, através de responsabilidade social e ambiental. Também nos mostra em detalhes os desenhos e os processos construtivos – experiência baseada no fazer, no construir, no "aprender fazendo". Finalmente nos fala sobre a qualidade humana de seus autores/as, que fazem parte principalmente da nova geração de arquitetos/as latino-americanos/as cujo trabalho não tem limites geográficos, pelo contrário, são os não-limites impostos a eles por sua própria criatividade...  

 

A Montagem da exposição "Arquitetura Contemporânea da América Latina" foi possível graças ao trabalho curatorial da equipe de colegas arquitetos/as e alunos/as do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura PROARQ e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro FAU UFRJ, dirigido pela Professora Arq. Ana Paula Polizzo.

 

Obrigado a todas as pessoas e instituições que permitiram a realização desta exposição e sua presença marcante no Congresso UIA2021 RIO.

Handel Guayasamin, Arq.

Director Ejecutivo

REDBAAL

A Exposição “Arquitetura Contemporânea da América Latina” apresenta os sessenta projetos selecionados para as três edições do Prêmio Oscar Niemeyer de Arquitetura da América Latina organizado pela REDBAAL, a Red de Bienales de Arquitectura de America Latina, ocorridas respectivamente nos anos de 2016, 2018 e 2020. Se por um lado, esta exposição reúne sem dúvida, um espectro representativo da produção em arquitetura contemporânea produzida na América Latina, importante ressaltar que ela não almeja uma síntese fixa ou mesmo homogeneizante de uma identidade. Ao contrário. Pode-se dizer que a seleção de projetos aqui apresentada aponta para a diversidade, para a multiplicidade e para a abertura dessa produção às mais diversas relações. 

 

Afinal, como pensar a América Latina, um território extremamente amplo, complexo, ambíguo considerando suas diversidades físicas, climáticas, geográficas, sociais, políticas, econômicas, culturais, históricas, a partir de uma lógica homogeneizante e identitária? Ou ainda, por outro lado, como repensar as próprias fronteiras entre os territórios latino-americanos, diluí-los ou torná-los mais fluidos, uma vez que muitos destes, ainda que apartados fisicamente, compactuam algumas realidades comuns e se aproximam em suas próprias demandas e experimentações? Estas são algumas questões que a Exposição “Arquitetura Contemporânea da América Latina” busca disparar. 

Esta exposição é fruto de um processo metodológico que foi sendo construído ao longo dos últimos quinze meses pelo grupo de pesquisas “Narrativas latino-americanas: Uma construção histórica a partir das bienais” (vinculado ao LANA - Laboratório de Narrativas Arquitetônicas do PROARQ FAU UFRJ). A partir da análise interpretativa das sessenta obras selecionadas – para além das diferentes escalas, programas, recursos, lugares, idiomas, regiões, climas, culturas – o grupo buscou lançar luz sobre as importantes pautas que permearam as obras enquanto

possibilidade de investigação e questionamento frente às complexidades e contradições das realidades latino-americanas.

 

Esse mapeamento de temas gerais (por vezes mais ou menos visível nessas obras), pressupunha a desconstrução de abordagens universais e de categorias analíticas já consolidadas pelo campo, fazendo emergir questões mais amplas, como as relações estabelecidas com o contexto físico e cultural, as vivências produzidas, os agentes envolvidos, as inserções socioespaciais geradas, as possibilidades de invenção dentro dos contextos específicos, os fazeres construtivos, entre outros. Neste sentido, fazer com que as questões pudessem emergir das próprias obras – e não enquadrar as obras a categorias pré-estabelecidas – foi essencial. 

Durante esse processo de investigação, foi se tecendo uma complexa rede de relações de aproximação entre as próprias obras; uma rede que extrapolava qualquer contiguidade geográfica. Neste sentido oito eixos temáticos – ao longo dos quais se estrutura esta exposição – foram ganhando corpo: Memória da Matéria, Memória do Território, Matéria do Território, Paisagens, Territórios da coletividade, Articulações Urbanas, Habitar Densidades e Outros Fazeres. Estes eixos não são estanques, se cruzam, se permeiam, coexistem, e revelam assim, possíveis chaves de entrada para a leitura dessas sessenta obras. As obras, por sua vez, poderiam igualmente facilmente transitar por mais de um eixo, ou pertencer a vários em maior ou menor medida, o que revela a complexidade e a pluralidade dessa produção.

Acredita-se que esta exposição não se encerra aqui. Ela está e é um constante processo de descoberta de outras obras, outros processos produtivos, outros territórios.

Profa. Ana Paula Polizzo

(LANA Laboratório de Narrativas Arquitetônicas PROARQ FAU/UFRJ)

Ficha Técnica

Execução
Junho de 2022


Apoio — REDBAAL UIAA RIO2021


Diretor Executivo —
Handel Guayasamin

Diretorio REDBAAL

Carlos Sallaberry

Edwin González

Handel Guayasamin


Pesquisa


Grupo de Pesquisa “Narrativas Latinoamericanas: uma construção histórica a partir das Bienais”, Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo PROARQ/ FAU/UFRJ.

Apoio:

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Artística e Cultural - UFRJ

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - UFRJ

Produção:

Florencia Sobrero

Santiago Cueva

Gabriela Villaça

 

Design

Thiago Simbol

 

Programação

Knowmad Soft

Coordenação:

Profa. Ana Paula Polizzo (LANA Laboratório de Narrativas Arquitetônicas PROARQ/FAU/UFRJ)

 

Equipe:

Aline Gil Spargoli

Bruno Caldas Lima

Giovana Paape Casanova

João Pedro Oliveira Pompeu de Pina

Júlia da Silva Grangeiro Cardoso

Mariana Moretzsohn

Natália de Freitas Cruz

Ravísia Avelar

Ródine Fernandes Montesso

Thiago Soares da Silva

Vinicius dos Reis Soares

Wesley Neves de Assis

Patrocinadores

logos - curatorial.jpg